O preço dos carros na Austrália são muito atrativos. O custo de um automóvel usado varia entre AU$ 900 e AU$ 2.500. No entanto, há alguns cuidados a serem tomados antes de efetivas a compra. O primeiro deles é quanto à carteira de habilitação. A CNH brasileira vale fora do país por 3 meses – apenas para pessoas com visto de turista. No entanto, como a autorização brasileira para dirigir está em Português, vale a pena pagar cerca de R$ 50 ao Detran e embarcar com a chamada carteira de motorista internacional. Para quem vai ficar mais tempo na Austrália, o melhor investimento é a tradução juramentada da CNH.

Uma das partes do processo que mais gera dúvidas é a escolha do carro. Há muitos disponíveis no mercado – os australianos parecem trocar de carro e de casa como quem troca de roupas. A dica aqui é negociar. Fique atento à sigla O.B.O. – em Inglês,  Or Better Offer -, pois isso quer dizer que o vendedor está disposto a negociar. É importante ficar atento também durante o processo de transferência. Há uma inspeção obrigatória para que o carro possa ser registrado, feita em uma oficina mecânica. Importante (e meio lógico) é conferir também a documentação do carro, que precisa estar em dia e válida.

Depois de fechar negócio, basta formalizar um documento de transferência. O processo é super simples. É preciso que o antigo dono escreva uma carta, que pode ser feita a mão mesmo, com nome, documento de identidade (que pode ser a carteira de motorista para residentes e australianos ou o passaporte, no caso de estrangeiros) e informações do veículo: Modelo, chassi, número do motor, placa e preço da venda. Após o documento estar assinado, o novo proprietário vai até o departamento de transporte mais próxima e registra a transferência. Leva junto o certificado de inspeção do veículo (o chamado Road Certificate). A transferência, obviamente, também tem um custo – então é bom se precaver quanto a isso para não faltar grana. Fica em torno de AU$ 400, incluindo o seguro obrigatório por meio ano. Além do seguro obrigatório, há a possibilidade de contratar um seguro particular, semelhante aos oferecidos no Brasil. Esse tipo de seguro pode ser acionado em caso de pane mecânica ou acidentes.

A parte mais difícil de toda a empreitada de compra um carro na Austrália parece mesmo ser a venda. O veículo terá que passar novamente por uma inspeção e, se houver problemas mecânicos, algumas peças terão que ser trocadas, o que pode sair caro. Pode acontecer de a conta do mecânico sair mais alta do que o valor de revenda do automóvel usado. Sem o certificado de inspeção obrigatória, no entanto, fica difícil passar o carro adiante – a não ser que o comprador aceite não ter o veículos transferido para o seu nome e o então proprietário não se importe com isso. Legalmente, no entanto, não pode. É preciso fazer as melhorias para que o veículos passe na inspeção e seja registrado em nome do dono de fato.

No fim das contas, parece valer a pena comprar um carro na Austrália, principalmente para as pessoas que ficam um ano ou mais por lá. O transporte público no país é bastante caro, apesar de ser possível realizar diversos trajetos à pé – e, nos finais de semana, sempre tem um amigo de carro para te levar para passear 😉 Há alguns trabalhos também, como entregador de pizza por exemplo, que só é possível conseguir se a pessoa tiver carro. Outro ponto a observar é quanto ao estacionamento. As vagas no centro são raras e caras. Se a pessoa morar em um bairro menos central, o problema será menor. Ou, então, pode acontecer de o imóvel ter vaga de estacionamento, o que facilita a vida.

Leia mais também:
– 10 Curiosidades sobre a Austrália
Como viajar pela Austrália
555,o ônibus grátis de sydney
– Tax File Number, o CPF Australiano
– Arrumando a mala em viagem a Austrália

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on telegram
Telegram
Share on email
Email
Share on linkedin
LinkedIn
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on email
Share on telegram
Share on linkedin
1